Pai


By:Jully Anne M.Fenner


Eu queria ter alguém pra me espelhar , um pai legal , um pai bacana , um pai protetor , um pai que se preocupe com os filhos , um homem que ama a sua esposa , que dá a vida para manter todos a sua volta felizes e realizados , mas não...Esta família não teve isso.

Dói demais eu lembrar dos tempos de infância , por que foi um tempo em que em vez de vê-lo como herói , eu tinha medo. Medo de ouvir as duras palavras que durante anos seus filhos ouviram .

Gostaria de não ter crescido com essas palavras em minha mente ,mais o que salva o amor que eu sinto por ti , era aquelas homenagens em que nós cantamos pra você nos dias dos pais nos tempos de escola.

Homenagem que fizemos de coração , cantando a canção do trem da alegria – Amigo velho

“Amigo velho 
Eu queria falar 
Meu velho amigo 
Foi tão bom te encontrar 

Amigo velho 
Eu te amo demais 
Meu velho amigo 
Todo dia é dos pais “

 ou quando cantamos aquela canção de Roberto Carlos 

“Esses seus cabelos brancos, bonitos, esse olhar cansado, profundo
Me dizendo coisas, num grito, me ensinando tanto do mundo...
E esses passos lentos, de agora, caminhando sempre comigo,
Já correram tanto na vida, 
Meu querido, meu velho, meu amigo”

Hoje as coisas mudaram , não há mais medo , não há mais remorso , não há mais tristeza por eu ter apenas existido em sua vida ...eu só... lamento por você não conseguir demonstrar todo o amor que nós demonstramos por você.

Eu te amo meu pai e mesmo que a sua escolha seja estar longe de SUA família , nós aqui estaremos aqui lembrando sempre de você ...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Desabafo de uma solteira

Noite Tempestuosa

O Retrato