9 meses

By:Jully Anne.M.Fenner

No primeiro mês era uma mistura de emoções , estava tão feliz , assustada , emocionada , amedrontada , ansiosa , esperançosa assim que li o resultado...

Tudo começou quando comecei a ter fortes náuseas e desmaios em lugares inesperados e isso não passou despercebido por muita gente, Sandra , minha amiga , me indicou um médico de sua confiança , depois de eu ter desmaiado pela 3 vez naquele mesmo dia no local do trabalho .
No dia da consulta eu mau consegui comer, pois estava com um enjôo muito forte e pra piorar a ansiedade estava me deixando mais nervosa como nunca...Já na hora marcada , eu e meu marido estávamos esperando eu ser chamada . até que meu nome foi anunciado e assim entramos de mãos dadas no consultório .
-Bom Dia !_ cumprimentou o médico apertando nossas mãos 
-Bom Dia! _ Falamos
-Bom , o que trás vocês por aqui?_Perguntou o médico 
-Bom Doutor , nessas ultimas semanas ando me sentindo muito mal , muitos desmaios e enjôos _comecei 
-Hmm , pode ser alguma virose , mas não iremos nos precipitar em dar um medicamento errado , iremos fazer uma coleta de sangue , caso os enjôos não passe _falava o médico escrevendo algo numa folha- Pesso que tome este anti-enjôo_ terminou ele de escrever e arrancou a folha entregando ao meu marido_ Não posso lhe dar um laudo especifico , há muitas coisas com esses dois sintomas , varia de gravidez , uma simples virose ou uma anemia forte , por isso que irei pedir para que saindo deste consultório vá fazer o exame de sangue nesse laboratório _ indicou ele entregando outra folha.
-Pode deixar doutor , que assim que sairmos daqui iremos ao laboratório , mas você sabe uma especifica que nós podemos voltar ? 
-Assim que eu receber o resultado do laboratório ligaremos pra vocês _falou o médico 
Eu aparentemente estava nervosa mas dei um sorriso discreto e assim que saímos do consultório médico , fomos ao laboratório fazer a coleta do sangue que para a minha grande tristeza acabei desmaiando por conta da forte tontura que havia sentido após a retirada do sangue.
Assim que acordei , vi que estava deitada , olhei para o lado e vi meu marido ao lado , e vi que eu estava tomando soro.
-Como se sente ?_Perguntou ele saindo do transe , se levantou e se aproximou da maca
-Bem_ menti 
-mentes mau _falou ele rindo pegando nas minhas mãos e as beijando- seu rosto diz o contrário meu amor _ fala-se num sussurro preocupado 
-Eu to bem , sério _ comentei deixando parecer um pouco cansada- só é meio estressante tudo isso 
- vai dar tudo certo , agora você consegue se levantar?_ Perguntou ele 
Me sentei na maca ainda me sentindo tonta , mas consegui ter firmeza nos braços para me segurar
-Ainda to tonta , mas eu consigo –falei saindo da maca 
Enfermeiras retiraram o soro e fomos para casa .

Dias se passaram depois da consulta e assim como o médico havia indicado o remédio anti-enjôo , passei a tomar para poder ter pelo menos um conforto aceitável no local do trabalho . o telefone celular tocou , olhando o visor notei que era o número do médico.
-Alô , doutor ! _ atendi
- Boa Tarde , estou ligando para avisá-la que já tenho o resultados em mãos , poderias vir amanhã?
_Claro que posso , que horas?
-As 08:00 
-Perfeito Doutor , obrigada – falei aliviada 

O dia passou lentamente , mais lento que uma corrida de tartaruga e um caracol a ansiedade tirando a minha fome , deixando apenas a sensação de querer que o tempo voa-se pra que o amanhã chega-se o mais rápido possível . Estava eu escorada em minha cama , lendo um livro , fechei os olhos por alguns minutos , mas esses minutos se prolongaram e quando dei por mim , o celular estava despertando as 06:00 .

Me levantei , tomei um banho e fui me arrumar , quanto meu marido ainda estava deitado na cama dormindo tranquilamente , fui preparar o café da manhã para nós.

Já no consultório médico estávamos sentado na cadeira em frente ao médico que estava lendo o resultado , dando alguns minutos ele nos encara com um sorrisinho em seus lábios .
-Bom , não precisam ficar tão assustados , acho que esse probleminha só vai se resolver daqui a nove meses _comentou o médico 
Meu marido estava com aquela cara de quem não entendeu nada e eu estava com aquela cara de :JURA MESMO?
-Doutor , tens certeza?_Perguntei ansiosa 
-Tenho , estas grávida , parabéns ! 

Eu e meu marido nos encaramos por alguns minutos até ele quebrar o clima confuso com um sorriso radiante e me abraçar fortemente .

Nos quatro meses da gestação foi um sufoco , era alem do enjôos , comecei a por tudo pra fora , era uma lastima , sentir cheiro de alguns alimentos me revirava o estômago , tirando a parte dos desejos ... esqueci de mencionar que realmente a gente fica mais sensível por conta dos hormônios na gravidez , chantagem emocional do tipo : “Eu to com desejo de comer manga , nosso filho vai nascer com cara de manga se você não me trazer ela” e não posso esquecer que a criança se mexeu enquanto eu estava deitada no sofá lendo um livro e eu tenho que assumir que meu marido foi super parceiro e deve muita paciência para fazer a cada desejo meu sem reclamar, esse posso dizer que é companheiro de verdade.

No sexto mês da gestação minha barriga começou criar forma , finalmente , já que sou uma mulher magra , mas desde a descoberta da gravidez passei a cuidar de meu corpo e alimentação , continuei a ir pro trabalho e começamos a comprar o enxoval .

No sétimo meu marido passou a ter um certo desejo de saber o sexo do bebê , mas eu queria deixar como estava , enquanto isso meu marido passou a agir de forma estranha “Será que ele tem outra? “ era tantas coisas que passavam em minha cabeça , o medo , eu estava redonda , me sentia mais pesada , dolorida e enxada .
Até que num dia tivemos uma briga , perguntei o por que de ele agir de forma tão estranha comigo , meu humor estava tão sensível que chorava por tudo e aquele foi o momento em que me deixou mais magoada e o incrível que no olhar de meu marido eu via compreensão, entendimento.
Ele mexeu em seu bolso e retirou uma chave.
-Acho que o presente de aniversário de casamento será entregue mais cedo_ comentou ele 
-Não entendi_ comentei tentando parar de chorar
-Comprei uma casa maior pra nós , o nosso filho ou filha terá que ter um espaço pra poder brincar_ falou ele se aproximando e me abraçando- Nunca vou trocar você por outra sua ciumenta
O choro se intensificou , o sentimento de culpa adentrou em mim , desconfiar de meu marido , essa gravidez estava mexendo demais comigo.
No oitavo mês da gestação estávamos nos mudando para a casa nova , preparando tudo , era muita coisa para fazer em apenas um mês e no final deu tudo certo .
Fomos fazer o ultra-som para ver se estava tudo bem com o nosso bebê e acabamos descobrindo que viria dois. 

No nono mês da gestação , já estava sentindo saudades da barriga , saudades de sentir o bebê se mexer dentro de mim , mas a ansiedade de poder segurar , beijar , embalar era maior .Meu marido aproveitou esse período e tirou as férias para ficar ao meu lado , sempre ao meu lado , acariciando minha barriga e conversando com a criança ... nossos filhos adora ouvir a vós do pai , por que sempre quando ele fala , eles se mexem ...acho que serão bem parceiros 
Primeiro alarme falso , para minha frustração , voltamos pra casa e fomos descansar .
Até que no meio da noite acordei gemendo , sentia algumas dores novamente e isso despertou meu marido 
- O que houve ?_ Perguntou preocupado
-Outro alarme _ comentei 
- e se não for ?_ comentou ele já se levantando e se arrumando 
- é si..._ calei-me para segurar o ar para mais uma dor e assim que a dor deu uma aliviada – s..sim
-Acho que não _ responde-se já pegando um vestido para mim e me ajudou a colocar , pegando a bolsa do bebê , a chave do carro me ajudou a ir ao carro , fechando a casa , adentrou ao carro enquanto eu respirava fundo e lá ele foi numa velocidade incrível de 20 minutos chegando a maternidade .
Para o meu azar a bolsa ainda não havia rompido , enquanto ainda estava deitada na cama , meu marido estava ao meu lado , seu olhar era de medo e admiração 
-Você me surpreende , não consigo imaginar a dor que deves estar sentindo , mas a sua força é maior e isso chega a assustar _comentou meu marido 
-Minha vontade é de gritar , mas prefiro me calar _ falei entre os dentes enquanto sentia uma onda mais forte de dor até que senti um molhado em minha camisola foi nesse momento que uma enfermeira chegou ao quarto .
-Maravilha , a sala esta preparada vamos levá-la para fazer o parto , vai querer natural ou cesariana ?
Muitas me aconselharam a cesariana por ser menos dolorido e mais rápido , só que uma recuperação lenta , mas o obstetra me indicou a natural por ser rápido a recuperação.
-Natural _ falei depois de pensar alguns minutos enquanto a enfermeira me ajudava a me colocar numa cadeira de rodas 
-e você papai ? vai estar na sala de espera ou ajudar a sua esposa ?
Olhei meu marido e ele estava pálido , assustado , mas em seus olhos enxergava determinação
-Vou acompanhar _ respondeu ele 
Lá adentramos a sala de parto , os enfermeiros me ajudaram a me sentar numa estranha maca onde apoiava os pés , coisa que só havia em consultório ginecológico enquanto meu marido usava os mesmos trajes que os enfermeiros , pediu para que ele fica-se ao meu lado e assim começou a sessão de dores agudas , enquanto meu obstetra pedia pra por mais força mais eu gritava e mais meu marido dizia em meus ouvidos: “ta indo bem , continue “
Depois de mais alguns minutos ouvi-se um som de choro na sala e um grande alivio para mim, o médico cortou o cordão umbilical enquanto uma enfermeira pegava a criança juntamente com o médico e verificava como estava e assim por alguns segundos veio nos mostrar , um belo menino , o nosso Mateus , nome que meu marido escolheu para caso viesse menino , as dores voltaram e o obstetra novamente pedia para por força e lá se foi mais vinte minutos de dores mais força até o outro som de choro se ouvido , fazendo o mesmo processo , eis que veio uma menina e o nome perfeito para ela era Sara , minha pequena Sara.
z
Não lembro de ter dormido , mas acordei lentamente , ainda senti um pouco desconfortável ao me mexer , e vi meu marido segurando um mantinho azul claro , enquanto notei que uma outra pessoa estava ao quarto e era minha mãe que segurava um matinho branco , seu olhar era de puro amor .
-Como se sente ?_ ouvi a vos de meu marido vindo em minha direção trazendo Mateus , me sentei adequadamente para poder segurar pela primeira vez o meu filho.
-dolorida , mais aliviada_ respondi sorrindo olhando para Mateus que estava adormecido , mamãe que havia se aproximando da cama me entregou Sara .
Olhei para os dois agora , ambos dormindo tão despreocupados e tão protegidos .
-São tão lindos _ comentou mamãe beijando o topo da minha cabeça 
Lágrimas de emoção caíram de meus olhos , olhei para meu marido que também estava chorando
-Obrigada pelo presente amor _ agradeceu ele depositando um selinho em meus lábios 
- eu que agradeço por ser o pai de meus filhos _ falei fazendo o meu marido pela primeira vez chorar , mas chorar de alegria , emoção , lágrimas escorriam em seus olhos feito cascata com um sorriso radiante em seus lábios .

Foram os melhores nove meses que já tive em toda a minha vida .

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Desabafo de uma solteira

Noite Tempestuosa

O Retrato